Sobre a saúde e a saudade…

Padrão

Sobrevivi à Magen-Darm-Grippe. Aparentemente tem um vírus rodando por aqui e eu dei o azar de cruzar com ele pelo caminho. O que era para durar dois dias, durou quatro, mas finalmente a diarreia, o vômito, a febre, as cólicas e todo o desconforto passaram. Minha pequena farmácia também cresceu um pouquinho. Além de própolis, Dipirona, Buscofem, Neosaldina, Polaramine, Dorflex, Advil e Umckaloabo (remédio africano natural ótimo para gripes e resfriados), tenho agora também Perenterol (para reconstituir a flora intestinal), Elotrans (para repor os minerais perdidos) e Immodium (para segurar um pouco a diarreia em situações de emergência). O próximo a ficar doente, é só me ligar!hihi

A uma semana do Natal, uma saudade aguda e uma vontade imensa de fugir pro Brasil por umas semanas a qualquer custo me acometem. Não importa o quão bem e feliz você esteja, estar longe da família no Natal é sempre triste. Soma-se a isso o fato de estar escurecendo às 16h e já bem frio (0 graus) sem nenhuma neve pra dar uma alegrada e pronto – a pessoa começa a chorar até ao assistir filme de Natal pra criança.

Meu irmão, que está fazendo um MBA nos Estados Unidos, chegou ontem no Brasil pra passar o Natal e as férias e eu não vou estar lá para escutar as histórias que ele tem para contar antes de dormir (como nós dois sempre fazíamos quando eu voltava pra Votorantim para visitar meus pais e dormia no quarto dele com ele).  Eu não estava presente quando a minha irmã tocou minha música preferida (Comptine d’un autre été) na sua primeira audição de piano esse ano e não vou estar hoje na sua mais importante apresentação como bailarina – a realização de dois sonhos dela desde pequena.

Sim, eu estou exatamente onde eu sonhei estar. Finalmente entrei no mestrado que eu queria, fiz o estágio que eu sempre sonhei fazer (que, aliás, acabou ontem), já tenho amigos aqui, moro numa das melhores moradias estudantis de Bonn, adoro Bonn e adoro esse clima de Natal com Weihnachtsmarkt (mercado de Natal, sobre o qual você pode ler no blog da Ivana Ebel).

Realmente só tenho a agradecer. Mas confesso que nessa época de sentimentos aflorados e nostalgia, está difícil conter o choro e abafar a saudade.

Escolhas que a gente faz na vida…

Anúncios

3 responses »

  1. Man kann leider nicht alles haben. Mas acredite que nos muitos natais em família que virão, você certamente lembrará e até sentirá saudades desse período que, embora traga alguns momentos difíceis, nos faz crescer e aprender bastante. Nada como andar e escutar aquele barulhinho das botas “amassando” a neve (que certamente aparecerá) e apreciar um bom e quente Glühwein.
    LG!

  2. Ka, tem uma música linda que fala sobre isso.. “i was born to try”.. Você vai chorar quando ouvir mas a letra diz tudo 🙂

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s